Vihuela em Sol

Vihuela em Sol

Tampo em pinho Italiano, braço em mogno, fundo e laterais em jacarandá da bahia, e maple.

Vihuela em Sol

Vihuela em Sol

Extensão vibrante da corda: 58,5cm

Roseta

Roseta

Roseta trabalhada a mão em duas camadas de couro de cabra.

Mão Vihuela

Mão Vihuela

Mão e espelho trabalhado em marchetaria.

Vihuela mão

Vihuela mão

Vista lateral da mão. o instrumento possui cinco ordens duplas, e uma corda solo.

Vihuela em Sol

Vihuela em Sol

Alça trançada em tira de couro.

Vihuela em Sol

Vihuela em Sol

os trastes são amarrados ao instrumento, isso permite ao músico ajustar cada nota de forma individual.A quantidade de trastes são definidos pelo instrumentista.

Vihuela de Mano

 Segundo a pesquisadora Mary Remnant, no livro “Musical Instruments:An Illustrated History from the Antiquity to the Present”,a “vihuela” é um dos mais interessantes instrumentos históricos da família guitarra,
sendo que, já no século XIII, Juan Ruiz, Arcebispo de Hita, atual província espanhola de Guadalajara,
mencionava, em seu “Libro de Buen Amor”, a existência da “guitarra morisca” e da “guitarra latina”,
que tinham como características um braço bastante largo, com sua extremidade “dobrada” perpendicularmente
e o corpo ovalado.

Com o passar do tempo, estes instrumentos foram sofrendo modificações no corpo,
que ficou mais “acinturado” e no braço, que se tornou mais longo, até que, em meados do século XV,
surgiu na Espanha uma nova forma de guitarra chamada de “vihuela de mano”, geralmente com 6 ordens de cordas.
Este instrumento podia ser dedilhado ou simplesmente “rasgueado”,
obtendo-se um acompanhamento bastante ritmado da melodia executada.